Ministério da Agricultura lança campanha: Alimente quem o Alimenta

Ministério da Agricultura lança campanha: Alimente quem o Alimenta| Reforma Agrária

Todos estamos preocupados com  os graves problemas de escoamento da produção agrícola, decorrentes do encerramento ou redução da actividade e consumo nos canais tradicionais de escoamento desses produtos, por causa da pandemia de coronavírus (COVID-19): 

-Os Mercados Municipais foram na sua maioria encerrados pelas autarquias;

-As Feiras e os Eventos de promoção da gastronomia local foram cancelados;

-Os mercados de exportação estão bloqueados pelo encerramento das fronteiras;

-Os Hipermercados e as Grandes Superfícies Comerciais, estão a ser evitadas pelos consumidores, com medo do contágio.

Os riscos de contágio, em espaços fechados com muita circulação de pessoas, sobretudo aqueles com ar condicionado, leva os portugueses a optar pelas compras online, ou pelo recurso às pequenas lojas de proximidade do comércio local.

Mas os Agricultores - esses heróis esquecidos dos tempos modernos, de quem muitos só se lembram em tempos de coronavírus - não param, nem vacilam na sua actividade! Com a redução das actividades sociais, os agricultores têm até mais tempo e disponibilidade para o trabalho.

Abril é um mês de grande actividade na agricultura. Muitas plantações iniciam-se por esta altura e há muito trabalho de campo, e não só, para fazer. Alguns, têm a dificuldade acrescida da falta de mão-de-obra disponível para a agricultura. Sim, porque o trabalho dos agricultores modernos não se resume ao cultivo e ou transformação dos produtos. Ser agricultor, exige muitas competências, transversais a diversas áreas - contabilidade, mecânica, gestão, gestão de recursos humanos, meteorologia, aproveitamento de recursos hídricos, marketing, inovação de produtos, etc...

Escoar a Produção é um Problema Real dos Agricultores! 

Depois de todo o trabalho de produção agrícola, transformação e embalagem dos produtos, o agricultor ainda tem que planear o escoamento da sua produção. Na realidade o agricultor profissional, já tem tudo isso planeado, ainda antes de começar a produzir, e estudou quais os melhores canais para chegar ao seu cliente final.

Mas o COVID-19 veio alterar tudo!

Por isso é necessário procurar alternativas para o escoamento da produção, dos agricultores e outros produtores agrícolas.

A Campanha «Alimente quem o Alimenta»

A campanha, agora anunciada pelo Ministério da Agricultura, e pela Ministra da Agricultura, é muito bem-vinda!

É preciso centrar a produção agrícola, primeiro na produção local, e só depois ir buscar o que nos falta, ao exterior.

Compre mais Produtos Locais e Apoie mais a Agricultura Local de Cadeias Curtas.

Nós, aqui na Reforma Agrária, já andamos há anos, a pregar sermões aos peixinhos, para que você - Sim, você! - compre mais produtos locais e apoie mais a agricultura local de cadeias curtas.

Não somos contra a importação de bens, mas somos contra as cadeias longas entre o produtor e o consumidor, como acontece com a importação de produtos frescos - com uma enorme pegada de carbono.

Muitas importações não fazem sentido nenhum, porque colocam em causa, a nossa qualidade alimentar e a sustentabilidade da produção local, que é obrigada a cumprir normas apertadas de legislação e depois tem que concorrer com produtos, mais baratos, provenientes de locais onde essa legislação não é tão apertada, os salários são mais baixos, etc... 

Quando, por causa disso os produtores locais, têm dificuldade em competir com o preço e são obrigados a deitar os seus produtos para o lixo, isto chama-se concorrência desleal!

E compete ao estado, criar condições para que isso não seja a norma, mas sim a excepção! Porque é social e ambientalmente errado!

É preciso centrar a produção agrícola, primeiro na produção local, e só depois ir buscar o que nos falta, ao exterior.

É preciso Centrar a Cadeia Agro-Alimentar na Produção Local.

Por isso vemos com muito bons olhos esta iniciativa do Governo, de estimular o consumidor a comprar mais produtos alimentares a agricultores e outros produtores agrícolas locais.
Se a Campanha Alimente quem o Alimenta, tiver sucesso, a cadeia agro-alimentar continuará a funcionar, mesmo em tempos de crise, como os actuais.
E Portugal tem muito a ganhar, porque reduzem-se as importações de bens alimentares.

Ganha a nossa Balança Comercial
Ganham os Produtores
Ganha o Ambiente!
Ganha a Qualidade Alimentar!

Partilhar no FacebookPartilhar no TwitterPartilhar no LinkedInPartilhar no PinterestEnviar por email

Mariana Barbosa

Artigos relacionados que talvez lhe interessem
MENU