A Agricultura, que está refém dela mesma

É a agricultura intensiva que vos põe comida na mesa,artigo de opinião no jornal Observador| A Opinião da Reforma Agrária

Não podíamos deixar de partilhar e contraditar este artigo de opinião, publicado no jornal Observador.

Este artigo reflete uma visão oposta da nossa, de alguém que pensa dentro da caixa irrespirável, que é a da (insustentável) agricultura actual!

Décadas de governação e legislação a apoiar, ensinar e promover, ininterruptamente, um modelo de produção e distribuição em grande escala, mataram a agricultura plural!

Apoiada por governos, ensinada nas universidades e seguida pelos profissionais agrícolas de *sucesso.

Respeitamos a opinião do autor, mas não podia ser mais distante da nossa porque entendemos que só tem razão, dado o contexto actual, de captura da agricultura, pelas grandes corporações.

Décadas de governação e legislação a apoiar e promover, ininterruptamente, a produção e distribuição em grande escala, mataram a agricultura plural! 

A agricultura plural

Aquela que nos permitiria ter uma alimentação mais sã, um solo mais fértil (logo, muito mais produtivo!), um ar menos contaminado, mais variedades de fruta e legumes e até de produção animal (logo mais resistente a pragas e doenças), etc...etc...

Reduzir tudo a esta dicotomia entre o agricultor pobrezinho, que mal se consegue alimentar, e a agricultura, intensivamente, suportada em agro-químicos, é não conseguir descolar da forma, que foi moldada à medida de grandes corporações e monopólios.

Um molde que está gasto e começa a dar sinais perigosos, como:

  • a salinização dos terrenos do Alqueva
  • a concentração da terra nas mãos de fundos internacionais (empresas sem rosto, sem memória e geridas única e exclusivamente pela lógica do lucro).
  • a importação massiva de mão-de-obra barata (com uma pegada social e ecológica brutal), etc...etc...
  • a destruição das comunidades locais, que ainda restam nos territórios de baixa densidade.
  • a utilização abusiva de pesticidas e antibióticos, etc...
  • a destruição de habitats essenciais para a manutenção da biodiversidade.
  • a redução drástica, e muito preocupante, de insectos polinizadores.
  • a morte massiva de aves e outros animais por envenenamento.
  • a epidemia de cancro, alergias e doenças crónicas.
É a agricultura intensiva que vos põe comida na mesa,artigo de opinião no jornal Observador| A Opinião da Reforma Agrária

E tudo isto porquê?

Qualquer um dos "moços de lavoura, muito baratos", saberá que:

  • Com a monocultura, promovemos a destruição dos solos.
  • Com a calibração, promovemos o desperdício alimentar e reduzimos a biodiversidade natural
  • Com a produção em larga escala, promovemos uma brutal concentração da terra - um bem essencial à vida - na mão de uma oligarquia.
  • Com a distribuição em larga escala, promovemos uma das maiores causas, senão a maior, da poluição a nível global - com o aumento exponencial de viagens e embalagens! 
É a agricultura intensiva que vos põe comida na mesa,artigo de opinião no jornal Observador| A Opinião da Reforma Agrária

A grande produção e a grande distribuição, são dos maiores responsáveis pela poluição do planeta

Em conjunto, a grande produção e a grande distribuição alimentar, são dos maiores responsáveis pela poluição do planeta e pela degradação da nossa saúde, a nível global!

Mas não são os responsáveis, por esta visão redutora do agricultor sustentável, a um pobrezinho sem futuro no planeta da modernidade agrícola.

Os principais responsáveis pela implementação deste modelo agrícola são, todos os deputados e governantes, passados e actuais, que com mais ou menos lobby (legítimo), com mais ou menos suborno (ilegítimo) fizeram a opção, de colocar na prateleira de uma arrecadação, numa cave obscura:

  • os nossos direitos à qualidade de vida;
  • os nossos direitos à saúde;
  • os nossos direitos à qualidade ambiental;
  • os nossos direitos a usufruir de um território biodiverso e multicultural.

E ficamos todos nós, cidadãos, à mercê de uma única lógica, a do lucro! 

A lógica do *sucesso

* sucesso segundo o conceito actual de dinheiro=sucesso.

Este artigo é a prova de que algo terá que mudar na agricultura nacional!

E, ainda vamos a tempo, enquanto houver memória colectiva, do que é verdadeiramente a agricultura plural!

Por isso, não poderíamos deixar de o partilhar!

Afinal, é no confronto saudável de opiniões divergentes, que se constrói o futuro. Um futuro, que nós esperamos, que seja bem mais sustentável, do que o que nos anuncia o autor!

Partilhar no FacebookPartilhar no TwitterPartilhar no LinkedInPartilhar no PinterestEnviar por email
Artigos relacionados que talvez lhe interessem
MENU