Hortoterapia

Reforma Agrária07 fevereiro 2020

A horticultura como ferramenta terapêutica.

A horticultura como ferramenta terapêutica.| Reforma Agrária

"...mal vejo um raio de sol, largo tudo e vou lá para fora, trabalhar na minha horta!"

A Joana sofreu de depressão, pós-traumática, e depois de finalizado o tratamento, recuperada a auto-estima, sentiu necessidade de prevenir novas recaídas. 
O médico que a acompanhava recomendou-lhe vivamente que, sempre que estivesse sol, sobretudo de inverno, fosse para o ar livre. 
Inicialmente ela tentou o óbvio e foi caminhar. No entanto, não gostava de caminhar sozinha, e não tinha ninguém disponível para a acompanhar, nos seus passeios, por isso resolveu fazer uma horta na sua casa.
Agora o seu “mantra” de Inverno é: "mal vejo um raio de sol, largo tudo e vou lá para fora, trabalhar na minha horta!" 

Para cada um deles, a horta tem uma resposta.

Se pensarmos nalguns dos sintomas mais comuns da depressão:

  • Tristeza
  • Falta de auto-estima
  • Sentimentos de culpa
  • Falta de ânimo para as atividades do dia-a-dia
  • Sentimentos de inutilidade
  • Pensamentos negativos recorrentes
  • Diminuição do prazer de viver

Não há melhor antidepressivo, de facto!

É fácil perceber que a horta pode funcionar como uma terapia, até mesmo para aqueles que não conseguem sair da sua zona de conforto - a casa, a varanda, ou o seu jardim, permitindo-lhes recuperar a auto-estima e sentir-se valorizados. E se não ajudar, mal não fará, com toda a certeza, porque ao cuidar de uma horta, desenvolvemos diversas valências a nível físico, cognitivo, e até social, que promovem o nosso bem-estar físico e mental. 

Combater a Tristeza

Combater a Tristeza| Reforma Agrária

A horta é um espaço colorido, que pode ter flores e quando estamos rodeados de plantas, sentimos  e escutamos uma profusão de odores, sons e aromas que estimulam os nossos sentidos e nos fazem sentir relaxados. Se estamos tristes podemos até retirar alguma alegria, desta comunhão com a natureza, ou pelo menos olvidar, por momentos, as mágoas e a tristeza.

Falta de autoestima

Falta de ânimo para as atividades do dia-a-dia| Reforma Agrária

Haverá algo melhor para a auto-estima de uma pessoa, do que retirar do solo as primeiras cenouras do ano, ou ver crescer uma bela alface repolhuda no quintal, plantada por si!

Para já não falar, que a horta é óptima para atrair crianças e até um pretexto para elogios, sinceros, de vizinhos e amigos? 

Sentimentos de culpa

Falta de ânimo para as atividades do dia-a-dia| Reforma Agrária
Nada como arregaçar as mangas para iniciar um novo ciclo de vida, mais positivo.

Por mais sentimentos de culpa, que tenhamos, quando plantamos uma horta e lidamos com a Natureza, ganhamos uma certa consciência da nossa insignificância, perante a prodigiosa “engenharia” do solo e das plantas.
Com a horta concentramos mais a nossa atenção no meio exterior, e nessas “pequenas coisas”, do que em nós próprios.
Com o tempo passamos a relativizar mais as "nossas culpas" e a fazer aquilo que a Natureza nos ensina, ou seja, a arregaçar as mangas para iniciar, um novo ciclo de vida, mais positivo, e deixar os sentimentos de culpa, lá atrás, no inverno da nossa vida passada. 

Falta de ânimo para as atividades do dia-a-dia

Falta de ânimo para as atividades do dia-a-dia| Reforma Agrária
Tal como a horta, também nós o podemos renascer a cada estação.

Tal como a horta renasce e se renova a cada estação, também nós o podemos fazer, e isso, juntamente com as pequenas conquistas diárias da horta: - a primeira alface que colhemos, as joaninhas que começam a visitar-nos, aquele pardal atrevido que se começa a aproximar… , devolvem-nos o ânimo para prosseguir a nossa vida, sob uma nova perspectiva. 

Sentimentos de inutilidade

Falta de ânimo para as atividades do dia-a-dia| Reforma Agrária

Quem tem uma horta, não é inútil, ponto!

Uma horta - se não a encher de fitofármacos - é um dos trabalhos mais nobres que alguém pode ter, porque em cada hortelão há um guardião da Natureza e da biodiversidade terrestre. 

É absolutamente impossível, alguém que tem uma horta produtiva, sentir-se um inútil! 
Não é preciso explicar isto, ou é? 

Pensamentos negativos recorrentes

Falta de ânimo para as atividades do dia-a-dia| Reforma Agrária
+ Tempo na Horta =
- Stress 
- Pensamentos Negativos
- Ansiedade

Quanto mais tempo passar na sua horta, menos tempo terá para os pensamentos negativos recorrentes, porque a horta ajuda, muito, a libertar a mente do stress diário e a sacudir essas ideias negativas que guarda dentro de si!

Mas atenção!

Tal como todos os remédios, e mezinhas, também a Horta pode ter efeitos secundários.


Está contra-indicada para preguiçosos, porque a horta, traz muitas alegrias, mas também exige alguma dedicação, para ser realmente produtiva. 

E tem como efeitos secundários, muito prováveis, um certo comportamento anti-social, que poderá resultar em discussões, quando os seus familiares o quiserem arrastar para passear no centro comercial  e você se recusar, porque tem que “trabalhar” na sua horta. Mas este efeito secundário, pode ser anulado se partilhar a sua horta com os amigos e familiares, sobretudo as crianças.

As desculpas que você irá inventar, serão muitas, para ganhar tempo para a sua horta!

Apesar destes efeitos secundários, não deixe de experimentar!

Vai descobrir o verdadeiro e renovado prazer de viver -  embalado pelo ritmo das estações e em sintonia com a Natureza - que é sem dúvida uma verdadeira terapia e o melhor antídoto para a depressão, o stress, a ansiedade e o sofrimento que provocam! 

Não foi por acaso, que no rescaldo dos Incêndios de Pedrógão, algumas pessoas quiseram em abandonar os abrigos e regressar para as suas terras… porque apesar da dor e do sofrimento que sentiam, sabiam que era lá, nas suas hortas devastadas pelos fogos - a precisar do apoio deles para a sua recuperação - que iriam encontrar a cura para o seu pesadelo!

Partilhar no FacebookPartilhar no TwitterPartilhar no LinkedInPartilhar no PinterestEnviar por email
Artigos relacionados que talvez lhe interessem
MENU